Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Jardim Secreto

O Jardim Secreto

31
Mar17

Addicted #2

"Cause inner demons fight their battles with fire.
Inner demons dont play by the rules.
They say just push them down, just fight them harder.
Why would you give up on it so soon?
So angels, angels please just keep on fighting.
Angels dont give up on me today." ♫

 

Bom fim-de-semana, meus amores! 

30
Mar17

Carta # 19 - Para alguém que te importunou a cabeça

C.

Esta carta é para ti, porque muitas vezes as tuas palavras e atitudes importunaram-me a cabeça, e não no bom sentido.

Sei que é exigido muito de ti, que se espera muito ti... Mas falta-te humanidade e por isso não serás estimada, a não ser por lambe-botas, que não estimam de verdade também, apenas querem ficar bem na fotografia.

Falta-te empatia. Falta-te solidariedade. Falta-te saberes falar com as pessoas na altura certa e no tom certo, com as palavras corretas. Falta-te ser imparcial.

E tudo isso que te falta é essencial para o papel que desempenhas. E até mesmo para a vida, no geral.

Muitas vezes não gostei da maneira como agiste comigo. Não faço questão de o disfarçar, para que fiques sabendo que me ofendeste ou me deixaste chateada com o que fizeste. 

Espero que vás aprendendo e melhorando. Que adquiras aquilo que ainda te falta, para que tornes os dias melhores para aqueles que te rodeiam e para ti mesma, porque quem pode dormir de consciência tranquila sabendo que agiu de forma incorrecta com alguém que não merecia?

Se consegues dormir bem mesmo assim, és pior do que eu pensava. E até seres melhor, não teremos mais do que uma relação cordial, porque eu tenho educação e a vida assim o exige. 

29
Mar17

Carta # 18 - Para alguém que tu desejavas ser

Querida versão melhor de mim mesma,

Não desejava ser mais ninguém para além de ti. Uma pessoa alegre, inteligente, meiga e sem medos. Sobretudo, sem medos. Uma pessoa capaz de arriscar, viver várias aventuras, experimentar coisas novas... Não recear mudanças, não recear o novo e o diferente... Uma pessoa em paz consigo mesma. 

É apenas isso que quero ser. Uma versão melhor de quem eu já sou. Alguém que sabe aproveitar a vida, alguém com confiança em si própria e nas suas capacidades. 

Alguém que consegue ver sempre as coisas boas que o mundo tem para oferecer, alguém que saiba avançar ser vacilar, alguém que saiba ser assertiva e dizer não quando for preciso, alguém que não se vá abaixo nem se entregue com facilidade.

Desejo apenas ser feliz. Não viver com medos estúpidos a nublarem os meus pensamentos.

É essa pessoa que desejo ser. Espero um dia conseguir. 

28
Mar17

Carta # 17 - Para alguém da minha infância

Queridos professores,

Esta carta é para vós, pois acho que também merecem. Podia ter escolhido tantas outras pessoas que marcaram a minha infância, mas escolhi-vos a vós, pois foram os que desempenharam o papel mais importante, tão importante que ainda hoje me recordo dos vossos nomes, de vários episódios que contruibuiram para o meu crescimento, para me tornar a pessoa que sou hoje.

Lembro-me da minha primeira professora, a professora Dulce do pré-escolar. Ela não era de cá, tinha cabelo escuro e curto, era alta e esguia e andava sempre de fato com saia, muito na moda na altura. Lembro-me de ir a casa dela quando o ano acabou para me despedir dela. Ela era doce e compreensiva, tentando fomentar nos seus alunos bons valores e boas práticas.

No 1º e 2º ano, foi a professora Helena. Esta era mais rígida, por vezes injusta. Não foi de todo a minha professora favorita e não tenho grandes lembranças dela, a não ser o facto de me ter castigado injustamente porque uma colega achou de me acusar de lhe roubar a borracha.

No 3º ano apanhei o professor que mais marcou a minha infância... o professor Rui! Ele era divertido, boa onda e também bom professor! Fomos com ele para a piscina, para o exterior e foi ele que me despertou o gosto pela leitura, quando nos ofereceu a todos livros, já não sei se pelo natal ou no fim do ano lectivo... A mim calhou-me o Peter Pan, e foi o primeiro livro "grande" que li e que me fascinou. Lembro-me de lhe dizer que tinha adorado o livro e que o tinha lido em apenas alguns dias e ele ficou muito feliz!

No 4º ano apanhei a professora Délia. Nenhuma das crianças gostavam dela, diziam que era má. Era rígida, não tolerava faltas de respeito, não era de falinhas mansas e puxava por nós, para sermos mais e melhores. Não era má, era apenas exigente, tanto em termos de aprendizagem como de valores. E também nos ofereceu livros, desta vez o meu foi "A Pequena Sereia"! Se ainda hoje a vir, digo-lhe olá. 

Portanto, caros professores da minha infância... Obrigada. Obrigada por tudo o que me ensinaram, obrigada por me formarem, obrigada por moldarem a minha infância que foi tão humilde, mas feliz. Tenham confiança que das vossas mãos sairam bons alunos, alunos mais ricos a nível de conhecimentos e de valores e que desempenharam um papel importantíssimo nas nossas vidas.

27
Mar17

Carta # 14 e 15 - Para a pessoa que tenho mais saudades e que não está na minha cidade ou país

Querida J.

Cá estás tu novamente no meu desafio das cartas. Já te escrevi uma carta anteriormente, aliás, foste a destinatária da primeira carta que escrevi neste desafio. 

Tenho muitas saudades tuas. Saudades das nossas saídas sem destino certo, do som dos nossos risos em simultâneo, saudades das conversas sem fim, saudades dos planos, das fotografias... Sabes que tenho saudades, já to disse muitas vezes. Mas respeito e torço por ti em todas as decisões que tomares, esta de mudares de país incluída. 

Mesmo que só te veja uma ou duas vezes por ano, não faz mal. Espero que estejas feliz no sítio onde escolheste construir a tua nova vida. Que sejas bem sucedida e que a vida te traga tudo o que desejas.

Gosto muito de ti e mal posso esperar por te ver de novo. 

Pág. 1/6