Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Jardim Secreto

O Jardim Secreto

28
Mar17

Carta # 17 - Para alguém da minha infância

Queridos professores,

Esta carta é para vós, pois acho que também merecem. Podia ter escolhido tantas outras pessoas que marcaram a minha infância, mas escolhi-vos a vós, pois foram os que desempenharam o papel mais importante, tão importante que ainda hoje me recordo dos vossos nomes, de vários episódios que contruibuiram para o meu crescimento, para me tornar a pessoa que sou hoje.

Lembro-me da minha primeira professora, a professora Dulce do pré-escolar. Ela não era de cá, tinha cabelo escuro e curto, era alta e esguia e andava sempre de fato com saia, muito na moda na altura. Lembro-me de ir a casa dela quando o ano acabou para me despedir dela. Ela era doce e compreensiva, tentando fomentar nos seus alunos bons valores e boas práticas.

No 1º e 2º ano, foi a professora Helena. Esta era mais rígida, por vezes injusta. Não foi de todo a minha professora favorita e não tenho grandes lembranças dela, a não ser o facto de me ter castigado injustamente porque uma colega achou de me acusar de lhe roubar a borracha.

No 3º ano apanhei o professor que mais marcou a minha infância... o professor Rui! Ele era divertido, boa onda e também bom professor! Fomos com ele para a piscina, para o exterior e foi ele que me despertou o gosto pela leitura, quando nos ofereceu a todos livros, já não sei se pelo natal ou no fim do ano lectivo... A mim calhou-me o Peter Pan, e foi o primeiro livro "grande" que li e que me fascinou. Lembro-me de lhe dizer que tinha adorado o livro e que o tinha lido em apenas alguns dias e ele ficou muito feliz!

No 4º ano apanhei a professora Délia. Nenhuma das crianças gostavam dela, diziam que era má. Era rígida, não tolerava faltas de respeito, não era de falinhas mansas e puxava por nós, para sermos mais e melhores. Não era má, era apenas exigente, tanto em termos de aprendizagem como de valores. E também nos ofereceu livros, desta vez o meu foi "A Pequena Sereia"! Se ainda hoje a vir, digo-lhe olá. 

Portanto, caros professores da minha infância... Obrigada. Obrigada por tudo o que me ensinaram, obrigada por me formarem, obrigada por moldarem a minha infância que foi tão humilde, mas feliz. Tenham confiança que das vossas mãos sairam bons alunos, alunos mais ricos a nível de conhecimentos e de valores e que desempenharam um papel importantíssimo nas nossas vidas.