Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Jardim Secreto

O Jardim Secreto

24
Jan17

Novo projecto

Antes de mais, uma boa semana para todos vocês! 

Hoje não há muito para relatar, o dia esteve de chuva, por isso foi uma segunda-feira bem tranquila. Vou colocar aqui o ínicio de uma história que comecei a escrever e que me está a dar imenso gozo. É uma comédia romântica, digamos assim, ou um romance cómico, e gostava que me dessem a vossa opinião!

 

"Amanda Livinghood estava esparramada no sofá com os pijamas mais feios que tinha (que por acaso tinha sido a avó Mimi a oferecer-lhe à dois natais atrás), a devorar uma taça de gelado de morango e baunilha e a pensar em como a sua vida tinha dado uma volta de 180º graus nos últimos dias. E não daquelas voltas em que a roupa sai da máquina toda cheirosa e intacta, mas daquelas em que uma blusa branca sai cor-de-rosa ou aquela nódoa de ketchup continua no melhor par de calças…

Há duas semanas atrás, era uma jovem mulher com uma vida de sonho, pelo menos na sua opinião. Tinha um emprego estável como jornalista num jornal conhecido e partilhava um apartamento bem localizado com um namorado giro, inteligente e bem-sucedido, que acreditava piamente que ia pedir a sua mão em casamento em breve. Afinal, já estavam juntos à quase cinco anos e isso era uma eternidade. Antes de Daniel, a relação mais duradoura que havia tido fora de 3 meses.

Portanto, quando haviam saído para jantar fora (por sugestão dele, atenção) no seu restaurante favorito, com uma vista maravilhosa para o mar, Amanda ficou mais que empolgada. Numa escala de 1 a 100, o entusiasmo de Amanda ultrapassava os 500. Deu-se ao trabalho de trocar a roupa interior confortável por um fio dental vermelho e um sutiã push-up, a ver se pelo menos levantava o pouco que havia para levantar. Usou o mesmo vestido que havia usado no seu primeiro encontro, um vestido preto, de renda (um verdadeiro clássico e bónus, escondia o pneuzinho que ganhara nos últimos tempos). Trocou os ténis por uns saltos altos beges que lhe haviam custado os olhos da cara e até se deu ao trabalho de esticar o cabelo ruivo e frisado.

- Amanda… - Começara Daniel, enquanto lhe segurava a mão. Ele só a chamava pelo primeiro nome naquele tom quando o assunto era sério. Amanda quase saltava da cadeira com a excitação, tinha a certeza que iria sair daquele restaurante noiva e com um anel de diamantes no dedo!  - Tenho uma coisa muito importante para te dizer… É complicado…

- Na verdade, eu acho que é muito simples! – Interrompeu Amanda, de sorriso rasgado. – Desembucha lá!

Daniel pestanejou, os olhos azuis observando-a com a surpresa estampada no rosto. Oh, ele era encantador!

- Está bem… Amanda, a verdade é que…

- Sim?!

- Eu acho que… eu sinto que as coisas não estão bem há algum tempo e que não devemos continuar mais juntos.

- Sim, eu aceito!!! – Amanda exclamou, levantando-se e abraçando-o. Nem percebera muito bem o que ele dissera, tal era o seu estado, mas tinha a certeza que a pedira em casamento! Levantou-se e abraçou-o efusivamente.

- Oh… eu não estava à espera que reagisses desta maneira à nossa separação, mas ainda bem que aceitas.

Amanda deixou-se cair na cadeira de uma forma nada graciosa e fitou Daniel boquiaberta. Será que tinha ouvido bem?

- Se… Separação?

- Sim, foi o que acabei de dizer… - Respondeu ele, com toda a calma do mundo. – Já não somos certos um para o outro, não vejo nenhum futuro para nós enquanto casal.

- Mas… porquê? Eu pensava que estava tudo bem… E estava tudo bem!

Daniel abanou a cabeça.

- Não, não estava. Se estivesse, não me teria apaixonado por outra pessoa…

Amanda agarrou o garfo com tanta força que os seus nós dos dedos ficaram brancos.

- Quem… é… ela?

- Amanda, não tornes isto mais doloroso…

- Tu acabaste de tornar isto mais doloroso, seu imbecil! – Amanda empunhou o garfo e encostou-o à cara dele de forma ameaçadora. – Diz-me! Quem é ela? É a Gabi da pastelaria, não é? Eu bem que reparei, ela olhava-te de cima a baixo sempre que íamos lá!

Daniel afastou-se do garfo.

- A Gabi da pastelaria é casada, tem três filhos e tem idade para ser minha mãe!

- Então diz-me quem ela é! Exigo saber! Se não me dizes quem é a tua amante, juro que te arranco um olho com o garfo! – Rosnou Amanda, vermelha de fúria e de embaraço.

- Não. – Disse ele sem pestanejar. – Não podes exigir nada, porque a partir de hoje já não fazes parte da minha vida.

- Seu cabrão insensível!

Antes de pensar duas vezes, Amanda saltou por cima da mesa, as mãos lançadas à garganta de Daniel.

- SEGURANÇAAAAAAS! "

2 setas perdidas

Comentar post